quinta-feira, 29 de maio de 2008

Ney Franco ou Geninho?

Aconteceu o esperado: Cuca não é mais técnico do Botafogo. Bom treinador, bom caráter, boa praça, bom sujeito, educado, inteligente... Ele reúne uma série de virtudes dificílimas de serem encontradas na mesma pessoa, principalmente no meio do futebol. Porém, é um tremendo pé frio. Se é que pode ser dada ao bafejo da sorte a falta de títulos e de vitórias em jogos importantes. Cuca faz jus ao apelido: tenta tirar da cartola soluções mágicas. Para ficar em só um exemplo, ninguém sabe, ao certo, em que posição joga um tal Eduardo, contratado como garoto-revelação ao Bahia. Já passou pela zaga, lateral, atuou como volante e até na meia. E cada hora aparece num lugar, feito ninja. É apenas para justificar a "teoria da invenção", da qual Cuca é adepto. Que siga seu rumo, provavelmente no Santos. Ney Franco ou Geninho vem aí, para o lugar dele.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Fotos: Ricardo Ayres e Pedro Kirilos/Agência Photocamera
Melhor jogo do ano
Foi um partidaço. Um jogo cheio de alternativas, quatro gols, expulsão, substituições que deram certo e errado, heróis, variações táticas e bola na rede decidindo o confronto no último minuto diante de 80 mil pessoas. Ingredientes de sobra para enlouquecer tricolores cariocas e paulistas. O Fluminense mereceu vencer e chegar às semifinais da Taça Libertadores. Embora só tenha mostrado o ímpeto que o conduziu ao resultado no início do primeiro tempo e no final do segundo. Justamente antes de marcar o primeiro gol e depois de sofrer o empate. Foi comovente ver Washington desabar em lágrimas e assistir Renato Gaúcho sentado no gramado, extremamente emocionado. Aqui, do MUMUNHA, vai o voto para o melhor em campo: Júnior César. Um atuação que beirou a perfeição. Atacou, defendeu, driblou, participou de gol e protagonizou o lance que originou o cartão vermelho para Joílson. Jogou tanto, tanto, que nem dois marcadores (um em cada tempo) foram capazes de detê-lo. A galera está em êxtase. E com razão. Um abraço, daqui, para meus amigos Gileno Azeredo, Vitor Menezes, Alessandro Moraes, Wilson Júnior e Carlos Grevi, tricolores que estão rindo à toa.
Resultado da enquete
O esporte tem a ver, sim, a questão política de Campos. Então, vamos ao resultado da enquete realizada aqui no MUMUNHA sobre uma possível terceira via nas eleições de outubro. Foram colocados cinco nomes para apreciação do internauta. Contabilizamos 10 votos. Roberto Moraes ficou com seis deles. Makhoul Moussálen, três. E Vitor Menezes, mesmo contrariado em ser citado, recebeu um. Frederico Paes e Marcelo Mérida não foram votados. A gente volta ao assunto em breve.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Foto: Álvaro Marcos Teles
Décadas de abandono

Quem nunca ouviu falar que Campos é a “terra do já teve”? No esporte, a coisa não é diferente. Já teve muitos craques de futebol, bons times de basquete, um futsal de alta qualidade, representantes no atletismo que competiam de igual para igual com os melhores do estado, nadadores de ponta, ciclistas de categoria internacional... Mas já teve, principalmente, gente interessada em fazer acontecer. Conseqüentemente, a população lotava estádios, ginásios, ruas e até beiras de piscina.
Hoje o cenário é desolador como a foto acima, de uma das traves do campo do Sapucaia, equipe da usina de cana-de-açúcar de mesmo nome que levantou troféus e mais troféus há uns 30, 40 anos atrás. Culpa do poder público? Em parte, sim. Em boa parte. Ultimamente, e lá se vai um bom tempinho, qualquer iniciativa esportiva passa, quase que obrigatoriamente, pela rédea curta da prefeitura. Uma relação viciada, como ocorre em praticamente todos os outros setores.
Acabou o tempo das iniciativas próprias. Se o prefeito não libera o dinheirinho, não tem time, não tem atleta e não tem torcida organizada. Claro que não é fácil levantar verba de outra forma em uma região como a nossa. Mas também não há o mínimo de esforço neste sentido. Até os tradicionalíssimos campeonatos da “baixada da égua” dependem das migalhas vindas do poder executivo ou, então, da benesse de algum vereador “da área” em troca do nome na camisa da equipe. Na relação gol-voto, a torcida, do lado de cá, continua sendo por dias melhores. Parafraseando Roberto Moraes, Campos merece algo melhor.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Foto: Agência VipcommFoto: Site do Botafogo
Cariocas na final?
Tudo bem, o Vasco melhorou com a chegada de Antônio Lopes em termos de resultados positivos. Eliminou Criciúma e Corinthians de Alagoas da Copa do Brasil. Agora enfrenta o Sport e a temida torcida na Ilha do Retiro. O melhor teste, sem dúvidas. Aliás, o primeiro bom desafio, diga-se de passagem. Seria interessante, para o futebol carioca, uma final entre Vasco e Botafogo. Duelo de alvinegros e vices do Flamengo.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Foto: ReutersDoce recordação
A notícia mais bacana desta segunda-feira foi o encontro de Zico e Maradona no amistoso beneficente realizado em Roma. Lembrei das Copas de 82 e 86, das eternas comparações entre ambos, da Udinese e do Napoli. Da época do futebol mágico, dos lances geniais que, mesmo criança, consegui alcançar. Não chegou a dar vontade de chorar, mas bateu uma saudade danada. Acho que é um sentimento geral, de quem teve o prazer de vê-los nos anos 80, principalmente. Assistir a qualquer um dos dois com a bola nos pés era o mesmo que levar anestesia na coluna cervical. O corpo congelava por causa de uma expectativa praticamente fulminante. Infelizmente, tenho quase certeza de que a geração atual e as futuras não verão mais gênios como Zico e Maradona. Só em DVD. E olhe lá.

domingo, 11 de maio de 2008

Tudo frio ainda
A primeira rodada do Campeonato Brasileiro teve só um rastro de emoção: o incrível empate em 5x5 entre Portuguesa e Figueirense, no Canindé. Placar de pelada, mas que há muito tempo não se via em uma competição nacional. O resto era mais ou menos o que se previa em termos de resultado, exceção para a derrota do Palmeiras diante do Coritiba por 2x0. Envolvidos em competições paralelas com fases decisivas, muitos times não foram a campo com a força máxima. Variaram entre escalações só de reservas, casos de Santos, Fluminense e Internacional; e equipes mistas, como Botafogo, Sport e São Paulo. Do grupo que está na Libertadores ou na Copa do Brasil, apenas Vasco e Atlético Mineiro atuaram com o que tinham de melhor. O Brasileirão deve começar a engrenar, mesmo, dentro de três ou quatro semanas.

sábado, 10 de maio de 2008

Surpresas na Copa Rio
Rodada quente na Copa Rio neste sábado à tarde. O resultado mais surpreendente foi o massacre do Resende sobre o Aperibeense: 7x0. A vitória de 2x0 sobre o Olaria colocou novamente o Americano na zona de classificação. E o Quissamã, único representante da Terceira Divisão, agora é o segundo de seu grupo depois de bater a Cabofriense em casa por 2x1. O clássico da Baixada Fluminense entre Mesquita e Nova Iguaçu completa a rodada neste domingo. Quarta-feira que vem acontecem os últimos jogos desta fase. Por enquanto, só a Friburguense está classificada. Abaixo, os resultados de hoje e a classificação atualizada.
Grupo F

Volta Redonda 1x1 Madureira
Resende 7x0 Aperibeense
1º) Madureira - 10 pontos; 2º) Volta Redonda - 7 pontos;
3º) Aperibeense - 7 pontos; 4º) Resende - 4 pontos

Grupo G

Friburguense 1x1 América
Mesquita x Nova Iguaçu - amanhã

1º) Friburguense - 11 pontos;
2º) Nova Iguaçu - 5 pontos;
3
º) Mesquita e América - 3 pontos
Grupo H

Americano 2x0 Olaria
Duque de Caxias 2x1 Cardoso Moreira

1º) Duque de Caxias - 10 pontos; 2º) Americano - 8 pontos

3º) Olaria - 7 pontos;
4º) Cardoso Moreira - 3 pontos
Grupo I

Macaé 1x1 Boavista
Quissamã 2x1 Cabofriense

1º) Macaé - 9 pontos; 2º) Quissamã - 6 pontos;

3º) Cabofriense - 6 pontos; 4º)
Boavista - 4 pontos

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Foto: Alexandre Guzanshe/ O TempoFalta de pontaria
Como perde gol esse Atlético Mineiro! Impressionante! Marques (foto acima com Túlio) jogou longe uma chance clara. E um tal Renan Oliveira justificou a reserva. Fez o mais incrível: chutar a bola para fora sem goleiro, na pequena área, e com um zagueiro praticamente batido no lance. Almir, aquele revelado pelo próprio Botafogo, continua o mesmo. Cisca, cisca, consegue uma jogadinha ou outra, e, efetivamente, não produz nada. Quem quase balançou a rede foi Petkovic, apesar de ainda não estar em forma. Do lado carioca, pouca coisa a lamentar e comemorar. O time saiu do Mineirão como queria, sem resultado adverso. Agora, um golzinho do Galo, quarta-feira que vem, bota o Engenhão em chamas. A vaga está, rigorosamente, em aberto.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Foto: Rui Porto Filho/Prefeitura de MacaéChave difícil no Brasileirão
O Macaé está no Grupo 12 do Campeonato Brasileiro da Série C, conforme tabela divulgada ontem à noite pela CBF. Os adversários são Guaratinguetá (melhor aproveitamento da primeira fase do Paulistão 2008), Rio Bananal (na final do Estadual do Espírito Santo) e Boavista (de quem nunca venceu em toda a história). Como dá para perceber, teoricamente a chave é duríssima. Único clube do Norte Fluminense em uma competição nacional este ano, o Macaé usa a Copa Rio para ajustar a equipe, dona de ótima campanha no Cariocão. A Terceira Divisão terá 64 clubes, divididos em 16 grupos de quatro times. Só os dois primeiros avançam para a segunda fase. Os quatro primeiros colocados, ao final da competição, sobem para a Série B de 2009. Quem ficar do quinto ao vigésimo lugar se garante na mesma Série C do ano que vem, ao lado dos quatro rebaixados da Série B desta temporada. Os jogos serão os seguintes:
Macaé x Guaratinguetá - 06/07 (Domingo) - 15 horas
Boavista x Macaé - 09/07 (Quarta-feira) - 20h30
Macaé x Rio Bananal - 13/07 (Domingo) - 15 horas
Rio Bananal x Macaé - 20/07 (Domingo) - 15 horas
Macaé x Boavista - 23/07 (Quarta-feira) - 15 horas
Guaratinguetá x Macaé - 30/07 (Domingo) - 16 horas

Foto: DivulgaçãoTim-tim
Sarro infame rolando na Internet desde a madrugada. Torcedores de outros times do Rio cumprimentam os flamenguistas com um “arriba” e perguntam se querem tequila Tres Sombreros, essa aí de cima. Gente menos perversa escreve na mensagem pessoal do MSN: “soy loco por ti, America”. Futebol e suas mumunhas. Por isso que tem graça. Se não, a gente ia adorar jogar peteca.
Foto: Márcia Rodrigues/Agência FotocomAposta arriscada
Caio Júnior não é um técnico com a cara do Flamengo. Se der certo no clube, vai ser por essas incongruências do futebol. Ele tem uma postura intelectualizada que não combina com a Gávea, onde se idolatra gente vibrante, contagiante, estilo exatamente do antecessor, Joel Santana. Os rubro-negros se identificam muito mais com um técnico espalhafatoso, que faz os gostos da torcida, do que com alguém de gel no cabelo e óculos de professor universitário. É uma questão de perfil mesmo. Além disso, vai ser pé-frio assim no quinto dos infernos! Em uma semana Caio dançou em três campeonatos. Ainda no Goiás, foi eliminado da Copa do Brasil ao tomar de quatro do capenga Corinthians. Domingo, na despedida do time goiano, levou três do modestíssimo Itumbiara em pleno Serra Dourada (com direito a dois do vovô Basílio) e perdeu o título estadual. Chega ao Flamengo e, logo no primeiro jogo que assiste, véspera de assumir, acontece aquilo de ontem. No intervalo, ainda foi para a cabine da Rede Globo e se disse emocionado com a matéria do “Baú do Esporte”, que o mostrou, ainda jogador, ao lado da mamãe em Porto Alegre. Definitivamente, filhinho mimado não é o tipo que cai nas graças da galera do mengão. Estudioso, Caio Júnior precisa agora de carisma. Ou faz adequações de personalidade mais profundas do que uma simples mudança de penteado, ou corre o risco de não emplacar o segundo turno do Brasileirão vestido de vermelho-e-preto.

Chuva de gols na Copa Rio
Quarta-feira de goleadas na Copa Rio. Na maior delas, o Volta Redonda massacrou o Resende, no estádio da Cidadania: 5x0. Com os 3x0 sobre o Mesquita, no Eduardo Guinle, a Friburguense carimbou o passaporte para a próxima fase com duas rodadas de antecedência. Na Baixada Fluminense o Duque de Caxias não tomou conhecimento do Americano e fez 4x2. Ao todo foram marcados 30 gols nos oito jogos deste meio de semana, uma excelente média de 3,75 por partida. Os resultados e a classificação atualizada, você confere aí abaixo.
Grupo F

Volta Redonda 5x0 Resende
Madureira 2x1 Aperibeense
1º) Madureira - 9 pontos; 2º) Aperibeense - 7 pontos;
3º) Volta Redonda - 6 pontos; 4º) Resende - 1 ponto

Grupo G

América 1x2 Nova Iguaçu
Friburguense 3x0 Mesquita

1º) Friburguense - 10 pontos;
2º) Nova Iguaçu - 5 pontos;
3
º) Mesquita - 3 pontos; 4º) América - 2 pontos
Grupo H

Cardoso Moreira 2x1 Olaria
Duque de Caxias 4x2 Americano

1º) Olaria e Duque de Caxias - 7 pontos;

3º) Americano - 5 pontos;
4º) Cardoso Moreira - 3 pontos
Grupo I

Boavista 3x3 Cabofriense
Macaé 1x0 Quissamã

1º) Macaé - 8 pontos; 2º) Cabofriense - 6 pontos;

3º) Quissamã e
Boavista - 3 pontos

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Foto: Agência FotocomPraga de botafoguense?
O filme se repete. No domingo o Flamengo conquista o Campeonato Carioca em cima do Botafogo e na quarta-feira seguinte é eliminado da Taça Libertadores da América. Ano passado, apesar da vitória de 2x0 sobre o Defensor, do Uruguai, o rubro-negro foi muito prejudicado pela arbitragem e não conseguiu reverter a derrota de 3x0 fora de casa. Hoje, minutos atrás, a situação era bem mais cômoda. A goleada de 4x2 no Azteca permitiu ao Flamengo poder perder por até dois gols de diferença. E não é que o América do México aprontou uma das maiores surpresas da competição até agora e sapecou 3x0, com direito a dois golaços do paraguaio Cabañas? Para torcedor de qualquer time pode parecer uma grande coincidência. Menos para os botafoguenses. Que mandinga forte, hein!
Tem Copa Rio hoje
A bola rola solta hoje à tarde pela Copa Rio. É a primeira rodada do returno da terceira fase. Alguns jogos são bem interessantes. Outros, nem tanto. Depois ficam faltando só duas rodadas. Ah, os dois melhores de cada grupo seguem na competição, que classifica o campeão para a Copa do Brasil, o vice para a Série D do Campeonato Brasileiro do ano que vem e o terceiro colocado para uma tal Copa Rio-Espírito Santo. Vamos lá a relação das partidas, acompanhada pela respectiva classificação dos grupos:
Grupo F

Volta Redonda x Resende
Madureira x Aperibeense
Classificação
- 1º) Aperibeense - 7 pontos; 2º) Madureira - 6 pontos; 3º) Volta Redonda - 3 pontos; 4º) Resende - 1 ponto
Grupo G

América x Nova Iguaçu
Friburguense x Mesquita

Classificação
- 1º) Friburguense - 7 pontos; 2º) Mesquita - 3 pontos; 3º) Nova Iguaçu e América - 2 ponto
Grupo H

Cardoso Moreira x Olaria
Duque de Caxias x Americano

Classificação
- 1º) Olaria - 7 pontos;
2º) Americano - 5 pontos; 3º) Duque de Caxias - 4 pontos; 4º) Cardoso Moreira - 0 ponto
Grupo I

Boavista x Cabofriense
Macaé x Quissamã

Classificação
- 1º) Macaé e Cabofriense - 5 pontos;
3º) Quissamã - 3 pontos; 4º) Boavista - 2 pontos
Foto: Site da RecordTrês perguntas a Ronaldo
Agora há pouco, na Record, Britto Júnior fez indagações pertinentes sobre o caso Ronaldo. Que deveriam, duas delas, serem respondidas pelo próprio jogador. Já a terceira, cai no colo do delegado responsável pelo, digamos, caso. Os questionamentos do apresentador são os seguintes:
1 - O que Ronaldo e três travestis ficaram fazendo durante três horas em um quarto de motel? Teriam conversado sobre a séria contusão do atacante?
2 - Em que momento, especificamente, Ronaldo se deu conta de que não eram mulheres?
3 - A repentina e surpreendente mudança de depoimento dos travestis foi causada por que, especificamente?
Sagaz, o próprio Britto fez questão de encerrar o assunto e saiu com essa: "A natureza responde, não é?". Boa.

terça-feira, 6 de maio de 2008

Foto: Gustavo Rotstein/GLOBOESPORTE.COMBom reforço
Na contramão da maioria, acho, sim, que Carlos Alberto tem tudo para emplacar no Botafogo. Ao contrário da fogueira de vaidades camuflada do São Paulo, em General Severiano ele vai encontrar um ambiente tranqüilo, sereno, formado por jogadores, em sua maioria, ainda em busca do sonhado lugar ao sol no futebol. Cuca, apesar do jeito "paizão", tem verdadeira fixação por disciplina e dedicação. O que pode ser bom para o jovem Carlos Alberto, apenas 23 anos de idade, em um momento complicado da carreira. Bebeto de Freitas, acostumado a lidar com egos inflados desde a época de jogador e técnico de vôlei, tratou de tirar todo o peso dos ombros do novo reforço logo na chegada. Carlos Alberto, longe de ser um cordeiro em busca do cajado mágico, sabe, também, que tem uma chance de ouro para mostrar que não é só uma eterna promessa de craque com fama de indisciplinado e brigão.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Foto: Álvaro Marcos Teles
Cadê a trave?
Andar por aí à procura de boas imagens é uma atividade bem legal. Que o digam companheiros e fotógrafos profissionais como César Ferreira, Diomarcelo Pessanha e Wellington Cordeiro. Do alto de meu amadorismo primário, consegui essa, na quadra de esportes da localidade de Sapucaia, em Campos. Justamente onde já houve um time campeão municipal, nos áureos tempos das boas equipes custeadas pelas usinas de cana-de-açúcar. Doce lembrança. Hoje, parece que falta alguma coisa. Um suporte, uma base. Como na foto.
Homenagem ao desiludido
Revirando o baú, achei um velho texto. Quase poesia. Apesar da falta de ligação direta com futebol, acho que encaixa com o momento vivido pelos botafoguenses. Aqueles que, como eu, ontem vestiram a camisa e foram para o bar torcer. E, pior, tiveram de voltar para casa e olhar de frente para filhos e esposa. Dêem uma conferida só.

Vou demorar a chegar
Sei que vai esperar
Pra me ouvir gaguejar
E dizer que não vou conversar
Você insiste em me ensinar
Que vencer não é ganhar,
Que o importante é chegar,
Que o telefone não vai tocar,
Que o banco não vai cobrar,
Que quem me embala é o mar.
Você vai dizer sem falar,
Vai sentir sem me tocar,
Vai dormir pra me encantar.
Agora mais quero me animar.
Sorrir e chorar,
Dirigir e andar,
Correr para te amar.
Beber sem escandalizar,
Escrever e não rimar,
Sentir tua boca e não beijar,
Encostar o sofá e analisar,
Descobrir o que comentar
Na mesa do bar.
Prometo não me emocionar,
Te levar para jantar,
Bater palma e sambar.

Foto: Reprodução
Craque das letras
Dizem por aí que ele é o Armando Nogueira de Campos. Discordo. Para mim, Péris Ribeiro não se compara a ninguém, nem a um mestre na arte de escrever. Dia desses saboreei novamente seu linguajar refinado. A fluidez com que conduz um texto assombra pela criatividade. Ou seria genialidade? Recomendo toda sua obra e, para os íntimos, um bom papo pessoalmente regado a chopp gelado em um boteco do Rio; ou a um vinho do porto, à beira de qualquer mesa. Para quem, amante do futebol, ainda comete o pecado de não conhecer e para refrescar a memória dos fãs, aí vai a dica: leiam “Em cima do lance”, lançado em 2001. É uma coletânea de crônicas publicadas no jornal Folha da Manhã. Nelas, uma incrível viagem ao túnel do tempo. Foram reunidos 27 personagens que fizeram história em Campos, no Brasil e no mundo. Indispensável.

domingo, 4 de maio de 2008

Foto: Maurício Val/ Agência Vipcomm
Legítimo bicampeão
Balela, a questão da falta de pernas do Flamengo. O time tentou administrar no primeiro tempo. Não deu, graças a uma infelicidade raríssima de Bruno. Bastaram quatro minutos da etapa derradeira para tudo mudar, graças as mudanças feitas por Joel Santana. Tirar dois volantes e lançar dois atacantes em um jogo de decisão não é para qualquer um. Precisa ter peito. E o Natalino provou que carcaça é um de seus fortes. Mandou o time para a frente, empatou, inverteu a situação e poderia até ter vencido com folga maior. Porém, os 3x1 foram mais que suficientes. Tão categóricos que não deram margem sequer a chororô algum. Festa e pose de um legítimo time vencedor, mesmo sem ser brilhante.
Foto: Site do Botafogo
Foto: Agência Vipcomm
Inventor e prático
Criatividade pode ser sinônimo de vitórias. Pode. Ou não. Com certeza, serve para destacar-se, chegar a um patamar, digamos, diferenciado. É o caso de Cuca, no Botafogo. Somado a um fino trato com a imprensa, postura de bom moço, pose de paizão com os jogadores, ar de intelectual da bola, o treinador do Botafogo faz esconder suas fraquezas. A maior delas, curiosamente, é justamente a quase eterna mania de inventar jogadores e situações. O que, em primeira análise, poderia ser confundido justamente com...criatividade! E, se desse certo, haveria o batismo sonhado pelo técnico. Cuca tem virtudes inquestionáveis. Trabalha sério, duro, retira muito de seus comandados - até o desdobramento de funções e uma entrega comovente. Quase tudo muito bonito. Quase. Não fosse uma tentativa sucessiva de tirar o coelho da cartola, para, em caso de sucesso, ser apontado como gênio tático. Escalar constantemente zagueiro, volante e até atacante na lateral; improvisar em outros setores e acreditar em atletas tecnicamente fracos beira a teimosia desenfreada. Resultado: deu Joel Santana e sua prancheta. Ou, traduzindo: o sujeito prático, que manda o time atacar quando está em situação adversa e defender na hora que tem uma boa vantagem. É isso, Cuca. Vê se aprende. Você pode. Basta simplificar.
Um banco e outro
Depois da vitória do Flamengo, domingo passado, escrevi, aqui no MUMUNHA, que a diferença para o Botafogo está no banco de reservas. Tem gente que não concorda, claro, e até faz beicinho. Coincidência ou não, hoje, de novo, os suplentes do rubro-negro fizeram a diferença. Aliás, no placar somado dos dois jogos, foram três gols de Obina e um de Diego Tardelli – que já havia marcado o tento derradeiro na final da Taça Guanabara. Por outro lado, tem o Fábio. Ah, o clone do Will Smith. O ator, uma lenda. O jogador, por enquanto, um fiasco. Obina e Tardelli, sósias deles mesmos, estão aí, beijando a taça.
Foto: Maurício Val / Agência VipcommSonho real
Negro, folclórico, veloz, dentuço, despachado, gordinho... O cartel de características de Obina é vasto e se assemelha, muito, a outros dois antigos centroavantes do Flamengo: Fio “Maravilha” e Peu. Há um adjetivo, entretanto, que talvez o faça diferente: estrela. Justamente, ironia do destino, o símbolo maior do Botafogo, rival derrotado & derrotado neste Campeonato Carioca que terminou hoje. Do alto de seus cabelinhos ralos e encaracolados, Obina disse, minutinhos antes de a bola rolar, que poderia novamente se tornar herói, tal qual domingo passado. A resposta foi a uma pergunta da Rede Globo sobre suposta premonição do zagueiro Fábio Luciano. O defensor teria dito ao atacante que sonhara com novo gol dele, desta vez fatal. Talvez Fábio tenha esquecido de dizer que a realidade, vez por outra, duplica os devaneios cândidos da madrugada.
Nova pergunta
Agora o MUMUNHA quer saber a opinião do internauta em relação a Taça Libertadores. Vencedores nos jogos fora de casa, Flamengo e Fluminense deram um passo gigantesco rumo às quartas-de-final. Mas será que os dois se classificam, jogando no Maracanã? Como as partidas acontecem no meio-de-semana, o tempo para votar é curtinho. Podem começar!
Empate na enquete
Pelo menos na enquete do MUMUNHA, o resultado foi apertado. Para a pergunta: "Quem ganha o Cariocão 2008?" votaram 18 internautas. Nove apontaram para o Botafogo e igual número acreditou no Flamengo. Melhor para os rubro-negros, claro. Valeu aí, pessoal. Continuem participando.

sábado, 3 de maio de 2008

Foto: Bruno Campos/site MacaéResultados da Copa Rio
A bola rolou neste sábado pela Copa Rio. Confiram aí os resultados e a nova classificação dos grupos:
Grupo F

Resende 1x2 Madureira
Volta Redonda 2x3 Aperibeense
Classificação
- 1º) Aperibeense - 7 pontos; 2º) Madureira - 6 pontos; 3º) Volta Redonda - 3 pontos; 4º) Resende - 1 ponto
Grupo G

Mesquita 1x1 América
Friburguense 2x1 Nova Iguaçu

Classificação
- 1º) Friburguense - 7 pontos; 2º) Mesquita - 3 pontos; 3º) Nova Iguaçu e América - 2 ponto
Grupo H

Americano 3x2 Cardoso Moreira
Duque de Caxias 1x3 Olaria

Classificação
- 1º) Olaria - 7 pontos;
2º) Americano - 5 pontos; 3º) Duque de Caxias - 4 pontos; 4º) Cardoso Moreira - 0 ponto
Grupo I

Quissamã 3x2 Boavista
Macaé 1x1 Cabofriense

Classificação
- 1º) Macaé e Cabofriense - 5 pontos;
3º) Quissamã - 3 pontos; 4º) Boavista - 2 pontos
Foto: Agência VipcommFoto: Site do Botafogo

Ligeira vantagem
Durante a semana muitos torcedores do Botafogo, como meu amigo Luís Costa, por exemplo, alardearam acreditar em vitória folgada neste domingo. O placar do Luís, só para explicitar, é 3x0 – “gols de Alessandro, Wellington Paulista e Diguinho”, ressaltou. Até quem está do outro lado pôs as barbas de molho. É o caso do também camarada flamenguista Leandro Nunes. Domingo passado, mesmo depois do triunfo rubro-negro, aos microfones da Band FM de Campos ele não teve dúvidas em apontar o alvinegro como favorito ao título. A alegação, em ambos os casos, tem como base a viagem do Flamengo ao México, no meio da semana. O desgaste foi natural, evidentemente. Só que trata-se da decisão do Campeonato, justamente o momento em que o jogador corre com três pernas ajudado por três pulmões. Com o placar favorável, o Flamengo pode administrar a vantagem e explorar os contra-ataques. Se não sofrer gol nos primeiros 20-25 minutos, passa a jogar também em cima de um provável nervosismo além da conta dos botafoguenses, traumatizados pelos últimos insucessos diante do rival. Mesmo com todo esse falatório sobre a exaustão, o Flamengo está na frente. No escore e na tranqüilidade. Em final, são dois largos passos rumo ao título. Ao Botafogo, resta tentar reverter a situação o mais rapidamente possível. De preferência, antes do intervalo. Vai ser mais um jogaço, com certeza.


sexta-feira, 2 de maio de 2008

Rodada da Copa Rio
A terceira rodada da terceira fase da Copa Rio acontece neste sábado, com todos os jogos começando às 15 horas. As partidas são as seguintes:
Grupo F

Resende x Madureira
Volta Redonda x Aperibeense
Classificação
- 1º) Aperibeense - 4 pontos; 2º) Madureira e Volta Redonda - 3 pontos; 4º) Resende - 1 ponto
Grupo G

Mesquita x América
Friburguense x Nova Iguaçu

Classificação
- 1º) Friburguense - 4 pontos; 2º) Nova Iguaçu e Mesquita - 2 pontos; 4º) América - 1 ponto
Grupo H

Americano x Cardoso Moreira
Duque de Caxias x Olaria

Classificação
- 1º) Olaria e Duque de Caxias - 4 pontos; 2º) Americano - 2 pontos; 4º) Cardoso Moreira - 0 ponto
Grupo I

Quissamã x Boavista
Macaé x Cabofriense

Classificação
- 1º) Macaé e Cabofriense - 4 pontos; 2º) Boavista - 2 pontos; 4º) Quissamã - 0 ponto

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Para ganhar experiência
A campanha do Quissamã nas duas primeiras fases da Copa Rio foi excelente. O time, que mais uma vez se prepara para disputar a Terceira Divisão, enfrentou adversários tradicionais no futebol carioca. E massacrou Campo Grande e Olaria em casa, fazendo seis gols em cada um deles. Na fase atual, em um grupo forte, perdeu as duas primeiras partidas. Foram os mesmos 2x0 adversos para Macaé e Cabofriense. Ainda resta enfrentar o Boavista e, depois, todos eles no returno. As equipes são da elite estadual e, com certeza, exigem muito do Quissamã. Mas é encarando os melhores que o elenco ganha experiência e confiança para uma boa campanha na Terceirona.

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Foto: Tiago Ferreira/Site do Macaé EsporteCopa Rio: segunda rodada
A segunda rodada da terceira fase da Copa Rio aconteceu à tarde. O Macaé conquistou mais um bom resultado: empatou em 1x1 com o Boavista, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. Zada abriu o placar para os macaenses e o zagueiro Hélder empatou, a quatro minutos do fim. Jogando em casa, o Aperibeense ficou no 0x0 com o Resende. O mesmo placar foi registrado na Rua Bariri para o confronto Olaria e Americano. Em seus domínios, o Cardoso Moreira decepcionou de novo e perdeu para o Duque de Caxias por 2x0. Neste momento o Quissamã enfranta a Cabofriense, em Cabo Frio.
Foto: Álvaro Marcos
Eraldo na cabeça

Por Stefano Salles/FutRio

O jornalista Eraldo Leite, do Sistema Globo de Rádio, foi declarado vencedor da eleição disputada nesta terça-feira, que definiu a nova diretoria da Associação de Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro (Acerj). Eraldo venceu com 66 votos, contra 51 do adversário e então presidente da entidade, Pedro de Jesus Costa. O resultado não foi imediatamente homologado porque pessoas ligadas à administração de Pedro aproveitaram um momento de confusão para fazer sumir as duas urnas da votação do interior, que ocorrera na véspera.


Sem as urnas do interior, o promotor aposentado e presidente da mesa, Carlos Felipe, se recusou a declarar Eraldo vencedor. A urna de Barra Mansa recebeu 39 votos, contra 25 de Campos. Os profissionais de imprensa da cidade norte-fluminense calculavam que Eraldo, campista, teria na urna da região 21 votos, contra 4 de Pedro. Quanto a Barra Mansa, não havia estimativas.

Foi grande a confusão, houve brigas e em alguns momentos o pleito fez lembrar a última eleição do Vasco. O caso foi parar na 18ª DP (Praça da Bandeira). Eraldo registrou o furto das urnas e Carlos Felipe terminou por declará-lo oficialmente como o vencedor da disputa. O novo presidente da entidade não terá muito tempo para comemorar: tomará posse já nesta quarta-feira, às 13 horas, na sede da entidade, e acredita que terá muito trabalho pela frente.

“Tudo o que aconteceu ontem, a falta de competência, práticas ultrapassadas da última diretoria e as manobras de Pedro Costa e seus asseclas para atrapalhar a disputa só demonstram uma coisa: a Acerj acabou. Precisaremos recriar a Acerj. Teremos uma nova Acerj. A nossa primeira medida será fazer uma espécie de recenseamento, para descobrirmos quem somos e quantos somos. Na eleição, muitos dos profissionais registrados não puderam votar porque na credencial constava a categoria provisório”, afirmou o novo presidente da entidade.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Foto: Álvaro Marcos
Eraldo na Acerj
Em período de eleições na Associação dos Cronistas Esportivos do Estado do Rio de Janeiro (Acerj), o FutRio fez uma matéria bacana com o candidato da oposição, Eraldo Leite. A votação começou ontem, no interior, e será encerrada nesta terça-feira, na capital. Vale conferir a reportagem, feita pelo companheiro Stefano Salles, e guardá-la, já que Eraldo promete dar "cara nova" à entidade. Para ler, basta clicar no link http://www.sidneyrezende.com/sec_futrio_noticia_time.php?id=929

Foto: Globoesporte.com
Gol contra
Uma das melhores matérias do ano até agora para quebrar a monotonia do noticiário esportivo foi essa do Ronaldo “Fenômeno” com três travestis na madrugada da Barra da Tijuca. O craque, conhecido também entre os amigos por sua performance com o sexo oposto, fez um tremendo gol contra. Dizer que confundiu esse rapaz barbudo da foto aí de cima com mulher é dose. Vai dar desculpa esfarrapada assim lá em Milão! Para quem só apareceu bem acompanhado até hoje... A fase, definitivamente, não é boa. Imagino a cara do Dunga, quando viu isso. Será que ele pensa em, um dia, dar nova chance ao Ronaldo na Seleção? E os conservadores dirigentes do Milan, o que terão achado dessa conversa fiada toda? Ronaldo ganha uma fortuna, vem para o Rio se tratar e aparece na mídia do mundo inteiro nessa situação. E olha que nem comentei sobre a história da cocaína. Independente de qualquer coisa, esse caso não cheira nada bem.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Foto: Tiago Ferreira/Site Macaé
Gols da Copa Rio
Vários times da região entraram em campo no fim de semana pela Copa Rio. Destaque para o jogo Quissamã 0x2 Macaé, em Quissamã, gols de Bill e Bruno Mezenga. Apesar do placar, o melhor em campo, de acordo com a própria assessoria do Macaé Esporte, foi o goleiro Éverton. Além de pegar um pênalti cobrado por Fabrício, fez outras belas defesas. Em Campos o Americano, a base dos garotos promovidos dos juniores, ficou no 0x0 com o Duque de Caxias. Na estréia do técnico Marquinhos Curtição, o Cardoso Moreira perdeu para o Olaria por 3x1, fora de casa - golzinho de honra de Fábio Tosca. Já o Aperibeense confirmou a boa fase e, com um gol de Luís Cláudio, derrotou o Madureira por 1x0, em Aperibé.
Foto: Fotocom.net
A diferença está no banco
Flamengo e Botafogo têm, em tese, equipes do mesmo nível. Com o time completo, a balança pende, de leve, para o lado alvinegro. Mas acabou, faz tempo, a época em que praticamente só os 11 titulares jogavam. E aí é que a coisa muda totalmente de figura. Quando olha para o banco de reservas, Joel Santana encontra alternativas capazes de mudar o panorama de uma partida. Foi assim na decisão da Taça Guanabara e ocorreu novamente ontem. Não se pode colocar apenas na conta da coincidência o fato de a jogada do gol rubro-negro ter sido feita justamente por dois jogadores que entraram no segundo tempo. Cuca, ao contrário, parece causar calafrios na torcida botafoguense a cada mexida. O mesmo erro do ano passado se repete novamente. O Botafogo não tem um grupo coeso. Prova disso é a falta que fizeram jogadores limitados como Alessandro e Triguinho, obrigando o treinador a colocar dois volantes nas laterais. Com o setor defensivo improvisado, o reflexo imediato se deu no meio-de-campo. Por conseqüência também no ataque, desfalcado do polivalente Jorge Henrique. Do lado do Flamengo, troca de jogador e variação tática só fizeram a equipe crescer no jogo. Mesmo assim, o clássico foi equilibrado. Só que no confronto entre reservas, a bola de Eduardo bateu na trave. A de Obina, estufou as redes.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Foto: Globo Esporte.Com
Olha ele aí!
Aqui na região, ele foi muito bem no Americano e muito mal no Goytacaz. Quem se lembra de Washington, um atacante meio trombador, que veio de São Paulo? Pois bem, o cara, depois de fazer sucesso no Palmeiras, em 2005, teve uma fase ruim. Foi para o Sport, de Recife, e, apesar de uns golzinhos, não emplacou. Acabou no Konyaspor, da Turquia, e agora retorna à Portuguesa, onde viveu uma das melhores fases da carreira. Aos 29 anos, Washington, que tem contrato com o Verdão até 2009, é o novo reforço da Lusa para o Campeonato Brasileiro da Série A. Casado com uma campista, vira e mexe ele dá as caras por aqui.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Foto: Site do Botafogo
Dá o braço a torcer, Cuca!
Que Cuca é um dos melhores treinadores do país, todo mundo sabe. O que pouca gente especializada escreve, ou comenta, é que o técnico do Botafogo também tem um queixo duro difícil de digerir. Trata-se de um turrão, na melhor tradução do que quero dizer. Sem o uruguaio Castillo, escalou Renan diante da Portuguesa. Leia o post abaixo do MUMUNHA, no dia de ontem... Bem, depois de falhar escandalosamente no gol do Christian e quase entregar a classificação em outro lance salvo por Leandro Guerreiro em cima da linha, será que o menino vai ser titular contra o Flamengo, no primeiro jogo da decisão do Carioca? Cuca, Renan é um garoto. Tem só 18 anos. Lançar um goleiro nesta idade em um time de alta performance beira a insanidade. Aliás, como qualquer jogador no setor defensivo. Temerário ao extremo até do meio para a frente, só que o risco aparenta ser menor. Vá lá, Cuca, se não der para o Castillo, olhe para o Roger. Caso contrário, o Flamengo agradece. Veja no que deu ano passado: o inexperiente Júlio César fez bobagem atrás de bobagem e deixou o clube pela porta dos fundos. Lição se aprende. Permanecer no erro é burrice.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Foto: Site do Botafogo
Aposta ou falta de opção?
Cuca confirmou hoje Renan, 18 anos, foto acima, como titular para o decisivo jogo do Botafogo contra a Portuguesa, amanhã, no Engenhão com 40 mil torcedores. O garoto vem das categorias de base, é da Seleção Sub-19 e aparenta ter pontencial para brilhar no futuro. Surge como questão de momento o risco de colocar um menino embaixo das traves logo na partida em que o time, se não sofrer gol algum, avança na Copa do Brasil. Todos os ingressos vendidos, casa cheia, responsabilidade enorme. Típica situação limite entre ser herói ou vilão. Não o rapaz, inexperiente e com toda a carreira pela frente. Falo do treinador, ao apostar tão alto. Por prudência, o camisa um seria Roger, 35 anos, já calejado até pelos anos esquentando bancos de reservas. Na falta do instável uruguaio Castillo, esse, sim, um goleiro inseguro que se agiganta em decisões, tomara o destino alvinegro não estar só nas mãos do técnico.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Foto: Fotocom
Tchau, Natalino!
Lá se vai o Joel Santana, encantado com outra bela proposta do exterior. Da última vez que deixou o Flamengo foi a mesma coisa: o dinheiro do Japão falou mais alto. Agora é a África do Sul, sede da próxima Copa do Mundo. O Natalino está certo. Tem mesmo de aproveitar bons momentos para encher o cofrinho. Depois de inúmeras contestações a seu trabalho no Brasil, ele chegou a um patamar mais elevado. Agora tem o merecido respeito profissional, embora ainda não esteja no seleto grupo dos cinco principais treinadores do país. Sua inseparável prancheta, já batizada na Ásia, desta vez recebe o carimbo africano. Dependendo dos resultados, não será surpresa se, daqui a um tempo, Joel parar na Europa. Ou, na pior das hipóteses, retornar com o bolso mais abastecido e tendo inúmeras portas abertas.

domingo, 20 de abril de 2008

Totalmente desnecessário
Geneton Moraes Neto é um dos grandes jornalistas do país. Já fez reportagens maravilhosas, provou seu talento em inúmeras situações. Só que neste domingo, a entrevista com Romário, exibida no Fantástico, da Rede Globo, foi patética. Isso para ser bem educado com a situação. Demonstrando total falta de sintonia com o mundo do futebol, Geneton fez perguntas óbvias, dignas de um estagiário do interior, e olhou para a papeleta à sua frente todo o tempo. Muito, muitíssimo amador. Bem típico de quem não tem a mínima intimidade sobre o que está falando. Essa coisa de o jornalista endender de todos os assuntos tem limite. Geneton não precisava. Romário e os telespectadores não mereciam.
Enquete do momento
Tem nova enquete no Mumunha. Quem leva o título carioca? Botafogo ou Flamengo? Os votos estão disponíveis até um minuto antes da segunda partida decisiva. Vamos lá, votem aí.
Foto: Fotocom Dia de chororô
Se tem um dia em que o Botafogo poderia, com razão, reclamar da arbitragem, seria neste domingo. Apesar da vitória de 1x0 sobre o Fluminense, com um gol logo do Renato Silva, o alvinegro foi nitidamente prejudicado pelo apito do fraquíssimo senhor Wiliam de Souza Nery. Thiago Neves, foto acima, cometeu pelo menos três faltas pra lá de deselegantes logo no início do clássico. Logo ele, acostumado às botinadas adversárias. Não recebeu sequer uma advertência. No segundo tempo, houve um pênalti claríssimo em cima de Jorge Henrique, igonorado por Nery. O pior, entretanto, aconteceu com o lateral direito Alessandro. Recebeu um amarelo na etapa inicial em lance que não cometeu a falta. E no segundo tempo, foi na bola, sem infração, e levou o vermelho. Bem, tem dia que a sorte bafeja para um lado. E, hoje, foi o do Botafogo. Com toda a razão, a galera alvinegra tem que comemorar. Agora, sim, foi contra tudo e contra todos, ao contrário do chororô desnecessário e sem razão de ser na decisão da Taça Guanabara.
Deu zebra
Ninguém, absolutamente ninguém, acertou a enquete do MUMUNHA. Foram apenas quatro votos, é verdade. Três deles apontaram a vitória do Fluminense no tempo normal. E uma pessoa vislumbrou que o Botafogo ganharia nos pênaltis. A vitória do Botafogo dentro dos noventa minutos não foi apontada. Ou seja, traduzindo, todo mundo errou!

sábado, 19 de abril de 2008

Foto: Buda Mendes/Ferj
Foto: Vipcomm
Empate técnico
À luz da razão, me perece impossível imaginar, de antemão, um vencedor no clássico carioca que decide a Taça Rio. Botafogo e Fluminense são, talvez, os dois clubes mais equivalentes do estado no momento. Essa semana o globoesporte.com analisou com frieza e riqueza de detalhes as duas equipes e deu empate. O MUMUNHA comunga da opinião. Senão, vejamos; entre os goleiros, há equilíbrio. Castillo e Fernando Henrique alternam defesas espetaculares com falhas bisonhas. Os laterais e zagueiros tricolores são de nível pouco superior. O mesmo ocorre com a dupla de volantes do alvinegro. Daí para a frente, no meio, ou dá Botafogo ou a coisa fica igual. No ataque, Jorge Henrique é melhor que Cícero. Washington e Wellington Paulista, hoje, empatam. E no banco, Cuca leva vantagem sobre Renato Gaúcho. Em termos de torcida, o equilíbrio se mantém. Vale esta lógica para esquemas e variações táticas. Poderia ser a final do Campeonato Carioca. Teoricamente, estarão em campo, neste domingo, as duas melhores equipes do Rio de Janeiro. Meio milímetro, apenas, à frente do Flamengo, que compensa a diferença e, talvez, até a ultrapasse, nas arquibancadas.
Fotos : Site do Pacific Open


Momento relex
Hoje, 19 de abril, dia do índio, é aniversário de Maria Sharapova, a louraça do tênis mundial - 21 aninhos. Respeitando a opinião de um ex-namorado, que a considerou, digamos, uma jogadora amorosa bem chinfrim, o MUMUNHA resolveu, em decisão de seu corpo editorial, publicar fotos de suas rivais. E que adversárias, meus amigos. Bem, vamos à listagem para ninguém se perder. A moreninha de rabo-de-cavalo acima (primeira foto) é a bonitinha Yung-Jan Chan. De estilo mais firme, aparece Aravane Rezai. Esta terceira, caída no chão, atende pelo nome de Alicia Molik. Sem comentários. Parabéns, amantes das raquetadas.
Foto: Site da Ferj
Olhar experiente
Tem gente que torce o queixo para Mário Marques. Maus resultados, ele já colecionou. Como quase 100% dos técnicos brasileiros. Vale lembrar, porém, que, longe de ser uma sumidade, o ex-meia do Fluminense e do Bangu (entre outros clubes) tem dois pontos positivos no curriculum em pouco tempo. No segundo semestre do passado levou o Cardoso Moreira à Primeira Divisão. Agora, na elite, tropeçou feio com o Mesquita, verdade. Trocou de camisa e ajudou o Boavista, bem encaminhado pelas mãos de Edinho Nazareth, a chegar à Série C do Brasileirão. Mário passa a imagem de ser um sujeito simples e educado. No balanço de sua performance dos últimos oito meses, o saldo positivo prevalece. Caso seja mantido no clube de Saquarema, vai ter como prova de fogo um campeonato nacional. Talvez dê, aí, para avaliá-lo melhor.
Foto: Rafael Andrade/Folha Imagem
Sempre cabe mais um
Até dá para entender pelo lado comercial, mas parece meio estranho veículos de comunicação como Rede Globo e Folha de São Paulo, por exemplo, se referirem a Rexona e Finasa como Rio de Janeiro e Osasco, respectivamente. No vôlei feminino, e é comum acontecer também em outros esportes olímpicos, a empresa em questão não se limita ao papel de patrocinadora. Digamos que seja uma espécie de mantenedora, sem a qual a equipe não existiria. Bem, nomenclatura à parte, o Rexona (é assim que o MUMUNHA entende ser o correto para identificar o time) passou pelo Finasa por 3x1, de virada, na manhã deste sábado, no Maracanãzinho, e conquistou pentacampeonato da Superliga. Um jogão, como de hábito entre as duas maiores forças do país. Nesta foto, de Rafael Andrade, podemos constatar uma curiosidade: as duas jogadoras à esquerda da imagem são Renatinha (de mão estendida) e Fabi (talvez dando um tchauzinho). As duas já jogaram em Campos, defendendo o Automóvel Clube. Assim como o técnico do Finasa, Luizomar Moura, que ficou em terras locais durante quatro anos consecutivos. Hoje, o vôlei feminino de Campos se limita à competições de base. Enquanto quem já atuou aqui, discussões sobre verbas destinadas ao projeto à parte, está na elite nacional. É a vida. Parafraseando o blogueiro e pensador campista Roberto Moraes, "Campos precisa mudar".
Foto: Revista Época
Mais uma vez força, Casão!

Por Kátia Melo
"As pessoas que gostam de mim podem ficar tranqüilas: eu estou me tratando bem". Foram as primeiras palavras de Walter Casagrande Jr. a ÉPOCA, em seu primeiro depoimento em sete meses – desde que foi internado em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos. Casagrande, comentarista de futebol e ex-jogador, falou à revista na tarde desta sexta-feira, na clínica Greenwood, em Itapecerica da Serra, onde segue um rígido tratamento para se recuperar do vício.
Usando uma bata branca, calça jeans, tênis de cano longo e óculos escuros, Casagrande estava bem humorado e queimado de sol. Engordou 20 quilos desde que iniciou o tratamento – foi internado com 72 quilos, muito pouco para seu 1,91 metro, e agora está com 92. Fez questão de elogiar o trabalho feito pela clínica e de mandar um recado para outras vítimas de dependência: “As pessoas precisam aceitar que são dependentes e que estarão em recuperação diariamente, até o final da vida, porque a droga é sedutora.”
Ainda não há previsão para alta do jogador. Casagrande afirmou que pretende voltar a trabalhar como comentarista de futebol, colunista de jornal e apresentador de programa de rádio. Disse também que não está assistindo a jogos de futebol na TV, porque sente falta do trabalho como comentarista. Superar essa falta é um dos pontos de seu tratamento. Na clínica, ele participa das mesmas atividades de qualquer outro paciente, que incluem o cultivo de uma horta, sessões de relaxamento e até partidas de futebol na quadra da instituição. Ele só tem autorização para sair da clínica nas sessões de terapia familiar e nas consultas no dentista.
O ex-jogador está longe dos olhos do público desde setembro do ano passado, quando sofreu um grave acidente de carro em São Paulo. Casagrande foi internado na UTI do Hospital Albert Einstein, de onde saiu alguns dias depois diretamente para a clínica Greenwood. Foi internado por iniciativa da ex-mulher, Mônica, e de um dos três filhos, Victor Hugo, de 22 anos, conhecido como Kasinha. No dia do acidente, Casagrande estava acompanhado por Karine Vasconcellos, que saiu praticamente ilesa. A ÉPOCA, Casagrande fez questão de dizer que Karine nunca foi usuária de drogas.
Na entrevista, o ex-jogador falou em detalhes de seu envolvimento com cocaína e, "esporadicamente", com heroína. Revelou ter sofrido quatro overdoses entre 2005 e 2007. Casagrande disse ter levado quatro meses para aceitar a condição de dependente sob tratamento na clínica Greenwood. Hoje, porém, diz estar muito mais feliz: "Tenho prazer em sentir que estou evoluindo. A recuperação é muito mais difícil do que se afundar, mas posso falar com toda a certeza que é muito mais prazeroso estar se recuperando e limpo do que estar usando drogas.” Fez uma lista dos amigos que o têm apoiado: "Lobão, Serginho Groisman, Luciano Huck, Rodrigo, Frejat e Peninha, do Barão Vermelho; Nasi, do Ira!; Branco Mello, dos Titãs; Luís Carlini, ex-Tutti Frutti; e Paulo César Caju (ex-jogador). Eles me falavam para eu sair das drogas. Eu respondia que podia dar conta.”
A íntegra do depoimento de Casagrande estará na edição de ÉPOCA nas bancas neste fim de semana.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Arte: Blog do Vitor Longo BrazCorrida Artefísica
O próximo 27 de abril é um dia especial. Nesta data volta a acontecer em Campos uma das mais tradicionais provas de rua da região Norte Fluminense: a Corrida Artefísica. O fundador e organizador da competição, Vitor Longo Braz, espera reunir atletas de três estados; Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Professor de educação física, jornalista e blogueiro, Vitor Longo é, acima de tudo, um batalhador. Luta, briga, se esgoela em prol da melhoria do esporte no município e arredores. Sua guerra quase diária rende recompensas, claro. A maior, sem dúvida, é chegar à 16ª edição de uma brincadeira que, ao passar dos anos, virou exemplo de profissionalismo em organização, disciplina, dedicação e prova de amor ao que faz. Depois de um hiato em 2007 por falta de apoio, Vitor firmou parceria com a Fundação Municipal da Infância e Juventude. Cem crianças vão representar a instituição em um percurso diferente do que será percorrido pelos outros competidores. As inscrições vão até dia 25.
Quem quiser maiores informações, basta dar um "alô" para o próprio Vitor Longo pelo telefone (22) 9981-9117.
Ou acessar www.blogvitorlongo.blogspot.com.
Parecer, não parece, mas este blogueiro aqui disputou a primeira Corrida Artefísica, em 1991, defendendo a academia Dinâmica, que funcionava no térreo do Ouvidor Play Center. Era fininho, naquela época.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Nova enquete
Galera, tem nova enquete aqui do lado. A pergunta, agora, não poderia deixar de ser outra: quem leva a Taça Rio? São quatro opções;
Botafogo no tempo normal
Botafogo nos pênaltis
Fluminense no tempo normal
Fluminense nos pênaltis
Ah, a votação termina no domingo, às 15h59. Um minutinho antes de a bola rolar no Maracanã. Tá valendo.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Cuca e os outros
O MUMUNHA perguntou aos internautas: qual o melhor treinador brasileiro? As 11 opções, de acordo com o critério do próprio blog, foram as seguintes; Abel Braga (Internacional), Cuca (Botafogo), Geninho (Atlético Mineiro), Joel Santana (Flamengo), Leão (Santos), Luís Felipe Scolari (Seleção de Portugal), Mano Menezes (Corinthians), Muricy Ramalho (São Paulo), Vanderlei Luxemburgo (Palmeiras), Zico (Fenerbahçe) ou outro treinador. O resultado, em termos percentuais e números concretos, é este abaixo:
Cuca (30%) – 3 votos
Outro treinador (30%) – 3 votos
Joel Santana (10%) – 1 voto
Luís Felipe Scolari (10%) – 1 voto
Mano Menezes (10%) – 1 voto
Vanderlei Luxemburgo (10%) – 1 voto

sábado, 12 de abril de 2008

Foto: PhotocameraPalpite errado
Cravei no Vasco o palpite. Errei. É isso aí, faz parte do jogo. Só perde o pênalti quem bate. E só cobra quem assume a responsabilidade. Feito comentário mesmo. Muito parecido. Via de regra, a história se repete: quem tem personalidade, dá a cara à tapa. Agora, chegando para perto do jogo e das cobranças, cá para nós: o Antônio Lopes foi um pai para o Edmundo. Tirou o cara faltando três minutos para acabar o jogo. E foi padrasto para o lateral Pablo. Escalou o garoto e o colocou para efetuar o último chute vascaíno. Ele perdeu e, tomara, não tenha a carreira abalada por isso. O que não aconteceria com Edmundo. No máximo, diriam que ele pipoca em decisões da marca da cal. Incoerente, o Antônio Lopes. O malandro, experiente, foi preservado. E o menino, imaturo e começando a carreira, sacrificado. Mas o que esperar do delegado?
Um fora
Bem mais do que uma simples semifinal, o clássico Fluminense x Vasco, disputado neste momento no Maracanã, aponta daqui a pouco o primeiro clube grande fora da briga pelo título carioca. O mesmo não acontece amanhã com Flamengo e Botafogo em caso de vitória alvinegra. Como diria o amigo comentarista da Rádio Continental, Sérgio Cavalcanti, vamos aguardar.
Goyta virtual
O site do Goytacaz está bem bolado e dimensiona a paixão da torcida pelo clube. Só há um problema: quem acessa tem que assistir a uma animação de torcedores nas arquibancadas sem a opção de entrar direto no conteúdo. Apesar da crítica, vale a conferida, porque foi muito bem feitinho. O endereço aparece na listagem aqui ao lado, mas aí vai: www.goytacazfc.com

Foto: Photocamera
Foto: Vipcomm
Equilíbrio distante
Pela teoria, o que em futebol só serve para alimentar gente comentando coisas aqui e acolá, o Fluminense teria uma ligeira vantagem sobre o Vasco na semifinal de hoje da Taça Rio. Teria. Não fossem dois aspectos. O primeiro, tradicionalíssimo, de que em clássico não há favorito. O segundo, em se tratando das “baixas” tricolores nos últimos tempos. O decantado ataque com os “três tenores” desafinou quase antes de começar. Foi até bonitinho para a torcida ver em alguns poucos jogos contra os pequenos. Na hora de a “onça beber água”, com se diz na gíria radiofônica, duvido que Renato Gaúcho colocaria todos eles em campo. Bafejado pela sorte ou não, o treinador tricolor nem chegou a ter o ponto de interrogação pairando sobre seus neurônios. Os motivos, todo mundo já sabe. A única dúvida é se Washington tem mesmo condições totais e plenas de jogar, ou se sua escalação é forçar uma barra. Pelo lado cruzmaltino, Antônio Lopes parece encarar o confronto deslocando o peso para ombros alheios. Tanto que anuncia um garoto que nunca foi titular na lateral esquerda (Pablo, foto acima) e sinaliza com outro no meio (Souza). Bem, seja como for, a presença combalida do “coração valente” e a previsível insanidade do “delegado” vão estar frente-à-frente logo mais. Por todos os aspectos, tenho um palpite, que não passa de palpite mesmo: acho que dá Vasco.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Foto: Gaspar Nóbrega/Vipcomm
Carne nova no pedaço
Gente interessante ingressa agora nas segundonas regionais de 2009. América, no Rio; Juventus, em São Paulo; Ipatinga, em Minas. Um ex-grande, outro sempre intruso e novato metido à besta. Nessa ordem, respectivamente. Lamentável apenas haver um time, neste caso o Ipatinga, na elite nacional. Dependendo da campanha na Série A do Brasileirão, pode, ano que vem, estar na Libertadores e nos nem sempre receptíveis gramados da divisão inferior mineira. Muito contraditório.

domingo, 6 de abril de 2008

Foto: Bruno Campos / Prefeitura de Macaé
Iguais no sucesso
Na contramão de América e Cardoso Moreira caminharam Boavista e Macaé, mas igualmente com muitos pontos em comum. Traçaram um planejamento para o Campeonato Carioca e apenas o clube de Saquarema trocou de técnico: saiu Edinho, que deixou a campanha bem encaminhada, e entrou Mário Marques. Em Macaé, Tita está desde a preparação para a Segundona do ano passado. O alviverde da Região dos Lagos apostou em jogadores experientes sem ainda serem veteranos, com passagens recentes pelos grandes do Rio. Casos de Erivélton, Fábio Braz, Roberto Lopes, Thiaguinho e Faioli (ex-Vasco); Flávio Medina (ex-Botafogo); Hélder e Diogo (ex-Flamengo). No Macaé, tudo bem parecido com a chegada de Cássio, Éverton e Zada (ex-Vasco); Bill (ex-Botafogo); André Gomes, Andrezinho e Bruno Mezenga (ex-Flamengo). Se o Boavista tem (ou teve) o apoio de pesos-pesados da iniciativa privada, como Ponto Frio e LG, o Macaé conta com a ajuda da abastada prefeitura local. Dentro de seus estádios, o aproveitamento foi excepcional. O Boavista empatou um jogo só (1x1 com o Friburguense) e ganhou todos os outros. O Macaé foi além e cravou 100% de aproveitamento no Cláudio Moacyr de Azevedo. E ainda conseguiram alguns pontinhos fora de casa, fundamentais na classificação para a Série C do Campeonato Brasileiro. Que ambos continuem trilhando o caminho do sucesso, agora à nível nacional. O futebol do interior merece.